domingo, 22 de junho de 2014

QUE FAREI PARA HERDAR A VIDA ETERNA?

(Marcos 10:17-23)E, pondo-se a caminho, correu para ele um homem, o qual se ajoelhou diante dele, e lhe perguntou: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?18 E Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom senão um, que é Deus. 19 Tu sabes os mandamentos: Não adulterarás; não matarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; não defraudarás alguém; honra a teu pai e a tua mãe.20 Ele, porém, respondendo, lhe disse: Mestre, tudo isso guardei desde a minha mocidade.21 E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Falta-te uma coisa: vai, vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, toma a cruz, e segue-me.22 Mas ele, pesaroso desta palavra, retirou-se triste; porque possuía muitas propriedades.
23 Então Jesus, olhando em redor, disse aos seus discípulos: Quão dificilmente entrarão no reino de Deus os que têm riquezas!

Este jovem rico mostrou grande honestidade. Perguntou que devia fazer agora para ser feliz para sempre. A maioria pede bens para tê-los neste mundo; qualquer bem (Salmo 4.6); este pede que deve fazer-se neste mundo para desfrutar do bem maior no outro. Cristo estimula esta pergunta assistindo sua fé e guiando sua prática.
Contudo, aqui há uma separação penosa entre Jesus e este jovem. Pergunta a Cristo que deve fazer além do que já fez para obter a vida eterna; e Cristo lhe pergunta se ele tem, como parece sem dúvida, essa fé firme na vida eterna, e se lhe dá elevado valor; está disposto a suportar uma cruz presente com a expectativa de uma coroa futura? O jovem lamentou não poder ser um seguidor de Cristo em condições mais fáceis; que não pudesse obter a vida eterna e reter também suas possessões mundanas. Foi embora triste. Veja Mateus 6.24: Não se pode servir a Deus e a Mamom. 
Cristo aproveita esta ocasião para falar a seus discípulos sobre a dificuldade da salvação dos que têm abundância neste mundo. Os que assim buscam ansiosamente a riqueza do mundo, nunca valorizarão em justiça a Cristo e sua graça. Além disso, fala da grandeza da salvação dos que têm pouco deste mundo e o deixam por Cristo. a prova maior da constância de um homem bom se produz quando o amor a Jesus lhe pede que renuncie ao amor aos amigos e aos familiares. Embora vencedores por Cristo, ainda devem esperar sofrer por Ele até chegarem ao céu. Aprendamos a contentar-nos em uma situação má e a estar alerta contra o amor às riquezas em uma situação boa. Oremos para sermos capazes de deixá-lo tudo se for necessário pelo serviço de Cristo, e para usar em seu serviço todo o que nos seja permitido reter.
Comentários Mattew Henry.

Postar um comentário