domingo, 29 de março de 2009

PESQUISA!!!!!!!!! EXTRA!!!!!!!! EXTRA!!!!!!!!!!!!!

Governo Lula usará “pesquisa” para elaborar novas políticas governamentais para combater a “homofobia” de 99% dos brasileiros

Julio Severo

De acordo com reportagem do jornal O Globo de 7 de fevereiro de 2009: “Só 1% dos brasileiros maiores de 16 anos não têm preconceito contra homossexuais”. O que essa “pesquisa” quer dizer? Que só 1% dos brasileiros não mata homossexuais? Que só 1% dos brasileiros não agride homossexuais?

Já que o termo “preconceito” muitas vezes é interpretado como abrangendo palavras e opiniões contrárias ao homossexualismo, quais as implicações dessa “pesquisa”?

A “pesquisa” foi realizada pelas fundações socialistas Perseu Abramo e Rosa Luxemburgo, que fizeram o levantamento de quantos brasileiros não aceitam o homossexualismo. A fundação Perseu Abramo tem ligação com o PT.

Usando o eco ideológico dessas fundações, o governo Lula agora utilizará os resultados dessa “pesquisa” para elaborar políticas mais enérgicas de combate à “homofobia”. A “pesquisa” apontou, nas próprias palavras de O Globo, que “a cada três dias de 2008, houve pelo menos um crime de ódio por orientação sexual no país, segundo o programa federal Brasil Sem Homofobia”.

Ocorrem no Brasil crimes contra quem pratica o homossexualismo? Claro que sim. Afirmando que a maioria dos homossexuais assassinados é de travestis, Oswaldo Braga, presidente do Movimento Gay de Minas, declarou: “São homossexuais que estão mais envolvidos com a criminalidade, como prostituição e tráfico de drogas, ficando mais expostos à violência”. (Tribuna de Minas, 09/03/2007, p. 3.)

Qualquer cidadão brasileiro, seja homossexual ou não, que se expõe em ambientes de drogas e prostituições corre sério risco de sofrer agressões e morte.

Mas assassinato, seja de quem for, não é nenhuma novidade no Brasil hiper-violento. Nos últimos 25 anos, enquanto 800 mil brasileiros foram assassinados, somente 2 mil homossexuais tiveram o mesmo destino, de acordo com o Grupo Gay da Bahia,

Contudo, a “pesquisa” não citou diretamente assassinatos de homossexuais, mas só “crimes”. Enquanto a cada três dias são assassinados 414 brasileiros — sem mencionar outros crimes —, a cada três dias 1 crime é cometido contra homossexuais.

Não, o governo Lula não está olhando para o número elevadíssimo de 414 assassinatos. Seus olhos estão nesse 1 crime contra homossexuais a cada três dias. Esse 1 crime pode ser qualquer “crime” — até mesmo a contrariedade típica e normal das pessoas a dois homens se beijando descaradamente em público.

Os olhos do governo Lula estão também no “preconceito” de 99% dos brasileiros. Erradicar a “intolerância” contra o homossexualismo, por mínima que seja, é muito mais importante do que trabalhar para literalmente salvar a vida de 50 mil brasileiros que são assassinados anualmente no Brasil hiper-violento.

Tanta violência no Brasil nem é de admirar. A vida perdeu o valor sob um governo que, em vez de proteger seus cidadãos, trabalha para legalizar o aborto e sacralizar o homossexualismo.

O que é de admirar é como uma população que é 99% contra o homossexualismo aceita de forma passiva e calada que um governo 100% a favor do homossexualismo eleve as práticas homossexuais a nível de sacralidade inviolável enquanto rebaixa 99% da população à categoria de “ralé ignorante” que deve ser sumariamente condenada a políticas estatais de reeducação.

Tal empreendimento socialista exige, como sempre, apoio da mídia comprada. Ninguém melhor do que a grande mídia brasileira para ajudar o governo a reeducar 99% da população. De acordo a BBC de Londres, as novelas da TV Globo — ligada ao jornal O Globo — aumentaram o número de divórcios no Brasil nos últimos 40 anos. Dá agora para aumentar o número de pessoas que aceitam o homossexualismo?

Com a ajuda da Globo e outros canais de TV liberais, o povo “ignorante” será reeducado a ver o homossexualismo conforme as tendências politicamente corretas. Sem mencionar que, usando as escolas públicas e outros meios, o programa federal “Brasil Sem Homofobia” não medirá esforços para eliminar o “preconceito” dos cidadãos brasileiros.

Enquanto o Ministério da Saúde gasta literalmente milhões em lubrificantes para que homossexuais se ocupem e se distraíam em suas relações anais, 99% da população ficarão “ocupados” sendo caçados e reeducados por causa de seu “preconceito”.

Esse “preconceito”, conforme o governo Lula e a mídia comprada definem, abrange qualquer opinião contrária ao homossexualismo. Não importa o que 99% da população pensem, não importa o que 99% dos cristãos creiam — o programa “Brasil Sem Homofobia” está determinado a “curá-los”, conforme as próprias palavras de Lula, de sua “doença perversa”.

Graças ao socialismo, o Brasil está hoje enfrentando uma ditadura ideológica monumental, onde 1% da população está determinada a impor sobre 99% não só censura às suas convicções e opiniões, mas também perseguição legal.

Alguém, muito sabiamente, disse:

“No passado, o homossexualismo era proibido no Brasil. Depois, passou a ser tolerado. Hoje é aceito como comportamento normal. Vou sair do Brasil antes que passe a ser obrigatório”.

Fonte: www.juliosevero.com

O PRESIDENTE LULA QUER PLANO NACIONAL DE COMBATE À INTOLERÂNCIA RELIGOSA

Valores do candomblé, umbanda e vudu receberão mais proteção estatal

Julio Severo

No Dia da Consciência Negra, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve em evento no Rio de Janeiro onde anunciou o Plano Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, com o objetivo de dar atenção especial às práticas religiosas que sofrem preconceito no Brasil e impor punições drásticas às fontes do preconceito. De acordo com o jornal O Globo, pais e mães-de-santo assim como líderes presbiterianos e católicos participaram do evento.

O babalaô Ivanir dos Santos, sacerdote da tradição iorubá, saiu do encontro satisfeito.

— Foi muito bom. Saímos com a certeza de que o presidente vai elaborar um plano de combate à intolerância religiosa e um projeto de lei para ser enviado ao Congresso, em parceria com esse fórum de religiosos e reunindo os ministérios da Justiça, da Igualdade Racial, das Comunicações e a Casa Civil.

Inclusividade: impondo igualdade entre Cristianismo e as religiões afro-brasileiras

Em nome da CNBB, Dom Antônio Duarte, bispo auxiliar da Arquidiocese do Rio, manifestou o apoio da Igreja Católica aos pais e mães-de-santo na luta para eliminar o estigma que envolve as religiões afro-brasileiras:

— Todos reafirmamos nosso apoio à reivindicação, porque a diversidade e a riqueza religiosa é um fato incontestável.

Tal “diversidade e riqueza religiosa” estão bem ao gosto de Lula. Embora se considere católico, em visita à África antes da eleição presidencial em 2006, Lula teve uma forte experiência espiritual em Benin, país que é berço do vudu.

Ao som de tambores africanos, de acordo com o jornal O Globo, Lula “passou a tarde toda sendo reverenciado com orações e danças feitas por feiticeiros vudus, líderes tribais e pelos descendentes de escravos brasileiros que formam uma espécie de colônia em Ouidá, nos arredores de Cotonou, capital do paupérrimo Benin”.

Os feiticeiros garantiram que Lula ganhou em Benin três fortes espíritos para o “ajudarem”.

Quem é que pode saber agora que tipo de “ajuda” e inspiração esses e outros espíritos andam dando a Lula? Tudo o que se sabe é que a meta do governo dele agora é impor a igualdade dos valores cristãos e os valores ocultistas.

Para onde as leis anti-discriminação levarão o Brasil?

Contudo, sua política de combate à intolerância religiosa provocará dois grandes prejuízos.

1. O Estado imporá uma igualdade artificial, pois não há igualdade real nenhuma entre Jesus Cristo e os falsos deuses do candomblé, umbanda e outras religiões afro-brasileiras. Além disso, a maioria do povo brasileiro é católico, religião que oficialmente não aceita a bruxaria.

2. Cristãos ex-pais-de-santo que derem testemunhos de sua vida anterior nas religiões afro-brasileiras poderão ser incriminados meramente por expressarem suas opiniões bíblicas sobre essas religiões.

Plano Nacional de Combate à Intolerância Religiosa é semelhante ao Programa Brasil Sem Homofobia. Na questão homossexual, o governo vem mostrando sua disposição de transformar em crime até mesmo opiniões e expressões contrárias ao homossexualismo. Em sua política de combate à intolerância religiosa, o governo fará o que em favor das religiões afro-brasileiras?

A pobreza imensa que Lula testemunhou em Benin não é fruto de algum preconceito racial da natureza contra aquele povo. As tradições de Benin estão profundamente enraizadas em práticas que o Cristianismo classifica como bruxaria. O vudu, que teve origem em Benin, não traz amor, paz, vida e prosperidade a seus praticantes. Benin é testemunha disso.

A aceitação da bruxaria leva inevitavelmente uma nação à pobreza e destruição. O Haiti é exemplo disso. Mas os valores do Cristianismo engrandecem um país. O passado glorioso recente da Inglaterra e dos EUA são testemunhas disso.

Colaboracionismo cristão?

Logo depois da reunião no Rio de Janeiro, o pastor presbiteriano Marco Amaral destacou sua presença como representante de “milhões de evangélicos”, dizendo:

— Não queremos apenas tolerância, que pressupõe alguma intolerância. Queremos que haja respeito. O cristianismo dialoga, é inclusivo.

A opinião pessoal de Amaral, porém, contrasta fortemente com a tradição cristã e judaica, que não ensina nem tolerância nem inclusividade com relação a práticas ocultistas. A Bíblia diz:

“Não deixem que no meio do povo haja adivinhos ou pessoas que tiram sortes; não tolerem feiticeiros, nem quem faz despachos, nem os que invocam os espíritos dos mortos. O SENHOR Deus detesta os que praticam essas coisas nojentas.”(Deuteronômio 18:10-12 NTLH)

Essa passagem bíblica, que é normativa para cristãos e judeus praticantes, está em oposição às intenções do governo Lula, que não só deseja tratar como cultura dos afro-descendentes as práticas religiosas vindas da África (como candomblé, vudu, etc.), mas também colocá-las no mesmo nível de importância com o Cristianismo.

Como medida inicial, o Plano de Combate à Intolerância Religiosa afetará diretamente a educação, pois estabelece a aplicação imediata da Lei 10.693, sancionada por Lula em 2003, que obriga as escolas públicas e particulares a ensinar História da África e Cultura Afro-Brasileira. O plano também inclui a ação das delegacias de todo o Brasil para combater a intolerância religiosa.

Lula escolheu o Rio de Janeiro onde anunciar seu plano porque o Rio tem duas características:

1. Transformou em feriado oficial o dia 20 de novembro como Dia da Consciência Negra.

2. Tem aplicado com rigor a Lei 7716/89, a chamada Lei Caó, que estabelece a igualdade racial e o crime de intolerância religiosa.

Além disso, o Rio procura ser pioneiro na criminalização do “racismo religioso”, promovendo campanhas e eventos nessa direção. O evento mais recente é o “III Fórum criminal racismo é crime!”, em que serão abordados os temas da intolerância religiosa, racial e homofobia. O evento, de 26 a 28 de novembro na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, terá a participação do babalaô Ivanir dos Santos, membro da Comissão de Combate a Intolerância Religiosa, e terá o apoio do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro e do Instituto Palmares de Direitos Humanos.

Promovendo o relativismo religioso

A proteção especial à “cultura” afro-descendente é apenas parte de um pacote que envolve também a proteção de práticas que o Cristianismo histórico considera feitiçaria. É a velha estratégia socialista de provocar luta de classes. Nesse caso, é a luta de classes levada ao nível religioso, onde o próprio governo dará favorecimentos a uma cultura religiosa em nome do combate ao preconceito. Apesar disso, alguns cristãos parecem realmente acreditar nas boas intenções do governo.

Fenômeno semelhante vem ocorrendo na defesa estatal ao estabelecimento de leis para proteger os homossexuais do Brasil contra o que parece ser, a julgar pelo modo paranóico com que a mídia liberal trata, um “holocausto” homossexual, ou “homocausto”.

No entanto, a aprovação de leis para dar proteção especial aos homossexuais é apenas parte de um pacote que envolve censura bizarra e a eliminação do direito de expressão dos cristãos. Na mentalidade estatal sob possessão socialista, a dignidade e o valor do homossexualismo são mais importantes do que o direito de dar opiniões.

Apesar disso, alguns cristãos, super-convictos de que Lula e o socialismo têm boas intenções para o Brasil, vendem-se às loucuras politicamente corretas do governo. Embora o Vaticano condene de forma categórica a agenda gay, o Padre Luiz Couto, que é deputado federal do PT, aprovou novas medidas para fortalecer o programa federal Brasil Sem Homofobia e defendeu o investimento de 10 milhões de reais do bolso do trabalhador brasileiro para essa finalidade.

Dessa forma, usando a velha tática socialista do engano, o governo Lula atrai o apoio de evangélicos e católicos para políticas e programas de promoção do relativismo religioso e sexual. No final, essas políticas acabarão demonstrando ser uma grande emboscada para os cristãos, pois ao impor ampla aplicação nacional da Lei Caó, o governo Lula legitimará a perseguição religiosa em nome da tolerância religiosa.

As ameaças dessa lei de igualdade racial são tão grandes que os próprios ativistas homossexuais querem pegar carona nela para poderem oficialmente perseguir os opositores da agenda gay. O PLC 122, que é visto por muitos como armadilha contra os cristãos, nada mais é do que um tentativa de incluir na Lei Caó o “crime” de preconceito contra a orientação sexual.

Poucos, porém, enxergam essas ameaças. Num evento contra o PLC 122 em agosto de 2007 no Rio, ouvi o Dep. Bispo Manoel Ferreira e o Senador Marcelo Crivella dizerem que, embora sejam contra o PLC 122, eles aprovarão todas as leis anti-preconceito. Como aliados do governo, eles têm de fazer isso, mas nesse evento declarei pessoalmente ao Senador Crivella: “Os cristãos que aprovam tais leis estão cavando a própria sepultura”.

Cristãos na contramão do Estado-deus-pagão

De que forma o combate à intolerância religiosa fomentado pelo governo Lula poderá implicar em prejuízos para evangélicos e católicos?

Dois exemplos reais dão amostra do que está por vir:

No Rio, o pastor da Igreja Evangélica Assembléia de Deus Trabalhadores da Última Hora fez o que o governo, apesar de toda a carga de impostos que cobra, não faz: reabilitar um criminoso. O Pr. Isaías da Silva Andrade recebeu em sua igreja Rodrigo Carvalho Cruz, conhecido como “Tico”, acusado como autor de roubo e a morte do turista italiano George Morassi, em novembro de 2007. Ali, Tico recebeu o Evangelho e aceitou Jesus.

Em seguida, o pastor aconselhou o criminoso arrependido a se entregar para a polícia. Na delegacia, o pastor, inocentemente, relatou: “Tico estava possuído por uma legião de demônios, como o Exu Caveira e o Zé Pilintra. Fizemos uma libertação nele e o convencemos a se entregar hoje”. Por causa dessa declaração, o pastor, que é afro-descendente, caiu vítima da Lei Caó, sendo denunciado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por prática de preconceito religioso contra as entidades do candomblé.

Fazendo aplicação do artigo 20 da Lei Caó, a promotora Márcia Teixeira Velasco fez questão de ser a autora da denúncia contra o pastor afro-descendente, expressando a opinião de que o candomblé e seus praticantes “foram atingidos diretamente com a declaração racista e discriminatória, eis que o denunciado vilipendiou entidades espirituais da matriz africana, com a espúria finalidade de proteção de autor de nefasto crime”.

O caso, que está sendo acompanhado pela Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, onde o babalaô Ivanir dos Santos é membro, é o primeiro onde um pastor é denunciado criminalmente por “discriminar” religiões afro-brasileiras como o candomblé. Se condenado, o pastor pode pegar de dois a cinco anos de cadeia.

Outro caso surpreendente envolveu o Pe. Jonas Abib, autor do livro, “Sim, Sim! Não, Não! Reflexões de Cura e Libertação”, que adverte os leitores contra os perigos do ocultismo, inclusive as religiões afro-brasileiras. De acordo com o site do Pe. Abib, o livro já teve 81 reimpressões e vendeu mais de 400 mil exemplares. O site também diz:

“Pe. Jonas, assim como Paulo, ousadamente denuncia as obras das trevas, levando o leitor a se conscientizar sobre o controle da mente, a ioga, a astrologia, a magia e a evocação dos mortos, revelando a verdade sobre as obras das trevas, com as quais é preciso romper urgentemente”.

Contudo, autoridades baianas confiscaram todos os livros do padre no estado da Bahia. O promotor público Almiro Sena acusou Abib de “fazer declarações falsas e discriminatórias sobre o espiritismo e sobre as religiões da África, como a umbanda e o candomblé, assim como incitação flagrante à destruição e desrespeito a seus objetos de culto”.

Ele acrescentou que a violação é mais grave porque “a Constituição estadual [da Bahia] diz que é obrigação do Estado preservar e garantir a integridade, respeitabilidade e permanência dos valores das religiões afro-brasileiras”.

O Pr. Isaías da Silva Andrade e o Pe. Jonas Abib nada mais fizeram do que conscientizar e ajudar pessoas debaixo da opressão e engano de práticas ocultistas.

Deve o destino de Benin ser imposto ao Brasil?

Numa época em que o Estado procura se distanciar tanto dos valores cristãos, é de estranhar sua aproximação aos valores ocultistas. Onde está a tão proclamada separação de Estado e religião?

O preço do combate estatal à intolerância religiosa é a satanização das leis, onde o Estado sob possessão socialista sacralizará o que não é sagrado, trazendo como conseqüência direta a demonização do Cristianismo e seus valores, e a censura e perseguição aos cristãos.

Vale a pena abrir o Brasil ainda mais aos mesmos tipos de espíritos que Lula conheceu e recebeu em Benin? Vale a pena colocar as práticas ocultistas de Benin e outros lugares da África no mesmo nível de importância dos valores cristãos?

Benin prova não só a colossal miséria que essas práticas geram, mas também que uma nação inteira pode ser enganada e amaldiçoada. No que depender de Lula e dos espíritos que ele trouxe de Benin, dias difíceis estão para vir ao Brasil.

Que Deus possa livrar o Brasil de políticos e legisladores que querem impor o destino de Benin aos brasileiros.

Fonte: www.juliosevero.com

terça-feira, 24 de março de 2009

OLHAI,VIGIAI E ORAI!!!!!!!!!!!!!!!

olhai,vigiai e orai, porque não sabeis quando chegará o tempo.vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à meia-noite,se ao cantar do galo, se pela manhã, para que, vindo de improviso,não vos ache dormindo.(MC 13. 33,35,36)

VI ESTE ARTIGO NO BLOG DO PASTOR ANTÔNIO MESQUITA E DE IMEDIATO LEMBREI-ME DAS PALAVRAS DO SENHOR JESUS PARA OS SEUS DISCIPULOS REPRODUZO AQUI O QUE ELE POSTOU LÁ NO SEU BLOG PORQUE ISTO É UMA NOTÍCIA QUE PRECISAMOS DIVULGAR NO NOSSO PAÍS PORQUE O TEMPO ESTÁ CHEGANDO E EXISTE MUITA GENTE DORMINDO(INCLUSIVE MUITOS CRISTÃOS) ACHANDO QUE TUDO ESTÁ BEM NO NOSSO PAÍS SÓ QUE AS COISAS POR AQUI VÃO DE MAL A PIOR QUE DEUS TENHA MISERICÓRDIA DESTA NAÇÃO.

O rabo está balançando o cachorro
Antônio Mesquita

O site de noticiário pró-homossexual MixBrasil divulgou a lista de entidades, personagens, ministérios e órgãos do Governo federal, políticos, entidades de classe, e outros, que receberam o Prêmio Triângulo Rosa, concedido pelo Grupo Gay da Bahia. São pessoas e instituições que mais se destacaram no apoio à homossexualização do Brasil em 2008.
Vênus ataca
Embora existam opiniões individuais e outras que refletem tão somente o direito, sem julgar condutas e pessoalidade, a maioria é composta de órgãos, que não são independentes no que diz respeito à isenção de opinião pública, sem que necessitem de observar os direitos de todos. Por prescrição constitucional estão submetidos à preservação dos direitos comuns, dos bons costumes e da própria ética. São representações do cidadão brasileiro e não somente de interesse comum a um grupo.
É a máquina pública, o erário, atuando de forma escandalosa, pró-Movimento Gay. Ora, como cidadão que paga impostos altíssimos, não posso concordar com isso. É vergonhoso.
Embora não nutra ódio, ranço seja lá o que for pelos homossexuais (mas os amo), e abominar a homossexualismo, não posso contribuir com algo que nada tem que ver com o emprego oficial e legal do dinheiro e atividade pública, que me representam.

Cada grupo pode lutar por seus interesses (com todo o direito democrático), porém, jamais de forma a tolhir o de seu semelhante, ou forçando-o de forma aviltante, a balançar a cabeça, como burros (animais irracionais).
Discriminação
A discriminação é natural e própria do ser humano. A pessoa que não goza de meios para atuar em determinada profissão, por exemplo, sofre-a, dentre inúmeros outros exemplos, praticados por todos, como afirma o padre Luiz Carlos Lodi da Cruz, “discriminar é preciso”.
O homossexual discrimina o cristão, por saber que este, mesmo amando-o, não é favorável ao homossexualismo. É certo que existem formas pecadoras de discriminação, mas o que realmente fere o direito é o preconceito.
Ora, como posso concordar com algo que me agride, ou fingir que não me causa mal? “O relacionamento homossexual ´é sempre visto por todos, inclusive pela família, com reservas, pois foge da natureza humana dos padrões normais do comportamento de cada um´” (Folha Online, 25/09/2007, despacho do juiz federal Aroldo José Washington (Juizado Especial Federal de Avaré-SP). O grifo é meu.
Representação evangélica
Não é à toa que o deputado Gabeira, ex-candidato à Prefeitura do Rio (2º lugar), comemorou a redução de representação cristã (evangélica) no Congresso. Em entrevista ele afirma: “…conseguimos dizimar a bancada evangélica. De uns 30, só voltaram quatro ou cinco”.
É preciso repensar a prática do voto e a forma do envolvimento cristão no setor político. Porém, fica claro que esse tipo de participação tem se tornado, se me permite, um mal necessário – se é assim que vemos. A nossa postura e distanciamento da atual conjuntura política, seus meandros, brechas e buracos é que precisam ser reerguidos, com renúncia ao atual modelo viciado e corrupto, alianças e apoios, para a construção de uma nova visão, divorciada também de qualquer molde piegas.
Político é aquele que em (ou deveria ter) a capacidade, dedicação e amor (de fazer com amor e por amor) para gerir a polis. Temos que fazer valer as nossas convicções ou abandoná-las, pois com o Criador não há meio termo (Ap 3.14-16).
Nossas naves de templos e púlpitos precisam ser varridos da presença de pessoas carregadas de contradições declaradas que agridem a crença e fé cristã, com o intuito tão somente de tirar proveito dessa “santa inocência”. Ou então jamais seremos respeitados, até por eles mesmos, que saem de nosso convívio, para construir chocarrices e denegrir a imagem de um alto e sublime preço, e que nem sempre conseguimos vê-la impressa em nós mesmos, em função desses conluios.
A representação da Igreja e de seus líderes, diante de pessoas e órgãos públicos, deve ser a mesma que se vê refletida em João Batista: “Porque Herodes temia João, sabendo que era varão justo e santo; e guardava-o com segurança, e fazia muitas coisas, atendendo-o, e de boa vontade o ouvia” (Mc 6.20), embora Herodes quisesse matar o profeta-pregador.

Bandeira do Movimento Gay ao lado da bandeira do Reino Unido hasteda na embaixada britânica na semana em que Brasília organiza a Parada Gay (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Bandeira do Movimento Gay ao lado da bandeira do Reino Unido hasteda na embaixada britânica na semana em que Brasília organiza a Parada Gay (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Apoiadores premiados
PESSOAS PÚBLICAS E VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO
Marina Lima, cantora. Motivo: Revelou sua primeira relação homossexual com a cantora Gal Costa aos 17 anos.
Cláudia Jimenez, atriz. Motivo: Declarou à revista Veja a prática de lesbianismo.

Fátima Mendonça, primeira-dama do Estado da Bahia. Motivo: Declarações simpatizantes ao movimento GLBT e (à dita) postura anti-homofóbica.

Guilherme Weber, ator. Motivo: Na minissérie Queridos Amigos (Rede Globo), protagonizou o primeiro beijo gay com o colega Bruno Garcia.
Bruno Garcia, ator. Motivo: Na minissérie Queridos Amigos (Rede Globo), protagonizou o primeiro beijo gay com o colega Guilherme Weber
INDÚSTRIA FARMACÊUTICA
Bayer do Brasil, indústria farmacêutica. Motivo: Incluiu parceiros de funcionários homossexuais em união estável como dependentes nos planos de saúde.
Nycomed, indústria farmacêutica. Motivo: Em propaganda da pomada Nebacetin, mostrou uma família formada por casal homossexual com um filho.
TELEVISÃO
Programa Fantástico (Rede Globo de Televisão). Motivo: Matéria sobre o preconceito sofrido por mulheres amigas de gays e lésbicas.
Programa Mosaico (TV Bahia, afiliada da Rede Globo). Motivo: Pela exposição de sua simpatia e atenção demonstradas na cobertura de eventos relativos ao público translesbigay.
UPTV, TV sem Fronteiras (do ABCD paulista). Motivo: Veiculação de programa voltado para o público GLBT.
EMBAIXADA INGLESA
Embaixada do Reino Unido em Brasília. Motivo: No dia mundial do orgulho GLBT, hastear bandeira do movimento gay (arco-íris), ao lado da bandeira inglesa.

MINISTÉRIOS FEDERAIS E MINISTROS
Ministério da Justiça. Motivo: Negou que a exibição de beijo entre homossexuais justificasse a alteração na classificação indicativa etária de filmes e programas de tevê. Sem comentários!
José Gomes Temporão, ministro da Saúde. Motivo: Ele regulamentou a cirurgia transexual pelo SUS (não obstante o alto custo da cirurgia, de a saúde pública ter outros apelos primordiais, justos e urgentes e a falta vergonhosa de melhorias e investimento no setor); e ainda por receber representantes do Coletivo Nacional de Transexuais.

Paulo Vanucchi, ministro da Secretaria Especial de Direitos Humanos. Motivo: Declarou que “a união civil entre homossexuais tem amplo apoio do Governo”.
ENTIDADES FEDERAIS
Caixa Econômica Federal (banco estatal) Motivo: Inclusão de parceiros de funcionários homossexuais em união estável como dependentes nos planos de saúde.
Embratur (órgão oficial do Governo federal). Motivo: Criação do site de esclarecimento para fomento de turismo GLBT no Brasil (Minha nota: A mesma que no governo de FHC mostrava no exterior, mulatas seminuas dançando, como forma de atrair turistas ao Brasil).
Agência Nacional de Saúde (ANS). Motivo: Estuda formas de tornar obrigatória a extensão da dependência do plano de saúde em casos de uniões do mesmo sexo.
ENTIDADES DE CLASSE
Sindicato dos Enfermeiros e a Federação dos Químicos de São Paulo. Motivo: Inclusão de parceiros de funcionários homossexuais em união estável como dependentes nos planos de saúde.

Conselho Regional de Psicologia da Bahia. Motivo: Criação do grupo de trabalho “Psicologia e Questões GLBT”.
Conselho Regional de Psicologia de São Paulo. Motivo: Criação do grupo de trabalho “Psicologia e Questões GLBT”.
Centro Cultural da Justiça Federal, do Rio de Janeiro. Motivo: Acolher a exposição multimídia Entre Amigos & Amores - espaços de socialização GLS do Rio.

Fundação Nogueira Tapety, de Oeiras (Piauí). Motivo: Outorga ao homossexual José de Helena da Medalha do Mérito Renascença.
Escola de Samba Unidos de Fátima (São Luis do Maranhão). Motivo: Abordou o tema respeito à diversidade sexual.

ÓRGÃOS DE ENSINO PÚBLICO
Universidade Federal da Bahia. Motivo: Incluir as uniões homoafetivas e homofobia como tema de redação no vestibular.
Universidade Estadual de Santa Cruz (Ilhéus-BA). Motivo: Incluir as uniões homoafetivas e homofobia como tema de redação no vestibular.
ÓRGÃOS PÚBLICOS ESTADUAIS
Secretaria de Habitação de São Paulo. Motivo: Motivo: Inclusão de casais homossexuais a candidatos de moradia.
Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU). Motivo: Inclusão de casais homossexuais a candidatos de moradia.
Secretaria Municipal do Trabalho de São Paulo. Motivo: Oferecer bolsa de estudo a travestis para frequentar cursos profissionalizantes.
Secretaria da Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo. Motivo: Aplicar multas a agressores de homossexuais.
POLÍCIA MILITAR
Polícia Militar do Estado Rio de Janeiro. Motivo: Garantir a pronta denúncia a agressores de homossexuais.
Polícia Militar do Estado de Minas Gerais. Motivo: Oferecer curso de capacitação sobre diversidade sexual aos seus integrantes.
ENTIDADES DE REPRESENTAÇÃO
Superintendência de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos. Motivo: Garantir a pronta denúncia a agressores de homossexuais.
Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados. Motivo: Aprovação de lei proibindo a discriminação no emprego por orientação sexual.

ÓRGÃOS DE JUSTIÇA E/OU SEUS REPRESENTANTES
Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Motivo: Punição ao juiz Manoel Maximiano Junqueira Filho, da 9ª Vara Criminal de São Paulo, com pena de censura, pela sua conduta homofóbica na discriminação contra o futebolista Richarlyson.
Juíza da 1ª Vara Cível de Campina Grande (PB), Emília Neiva de Oliveira. Motivo: Ordenar entidade evangélica retirar outdoors com mensagem homofóbica.
Juiz da 17ª Zona Eleitoral, Emanuel Leite Albuquerque. Motivo: Condenar a Assembléia de Deus (não-membro da CGADB) por ataques contra a prefeita de Fortaleza, com outdoors e cartazes acusando-a, segundo site, de fazer apologia da homossexualidade e prostituição.

Corregedor-geral de Justiça do Piauí, desembargador Raimundo Nonato Alencar. Motivo: Obrigar os cartórios de Teresina a aceitar registros de contrato de união estável entre casais homossexuais.

Advogado-Geral da União, José Antônio Dias Toffoli. Motivo: Julgar procedente ação proposta pelo governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral Filho, propondo a “contemplação nos conceitos de cônjuge e de família, os companheiros de união homoafetiva”.
Juiz da 2ª Vara de Família e Sucessões de Porto Alegre, Roberto Arriada Lorea. Motivo: Reconhecer a união estável entre duas lésbicas, afirmando que “o casamento civil é um direito humano - não um privilégio heterossexual”.
Tribunal de Justiça do Estado do Paraná. Motivo: Considerar uniões homoafetivas como entidades familiares e determinar a competência de julgá-las nas varas de família.
Desembargador Mário Raul, Tribunal de Justiça do Estado do Paraná. Motivo: Declarar em seu parecer que “não há como não reconhecer que as uniões afetivas entre pessoas do mesmo sexo são uma realidade nos dias atuais”.
Desembargador Rui Portanova, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Motivo: Por sua atuação na defesa da união estável de pessoas do mesmo sexo.
Juíza da 1ª Vara de Família do Gama (DF), Luciana Maria Pimentel Garcia. Motivo: Condenar o Exército Brasileiro a pagar pensão ao viuvo Jubton César, que manteve relação estável com o soldado José Roberto da Silva por 13 anos.
Ministros Luís Filipe Salomão, Pádua Ribeiro e Massami Uyeda, da Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Motivo: Reconhecer a possibilidade jurídica do reconhecimento da união estável entre homossexuais, no caso do brasileiro Antônio Carlos Silva e do canadense Brent James Townsend.
Tribunal de Justiça de Rondônia. Motivo: Determinar ao Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Rondônia (Iperon) que pagasse a pensão vitalícia por morte a x-companheiro de professor do Estado.
Juiz da 4ª Vara Cível de São José do Rio Preto (SP), Paulo Sérgio Rodrigues. Motivo: Permitir a transexual a ratificação de nome no registro civil, inclusive sem precisar fazer a cirurgia de adequação sexual.
Juiz 1ª Vara de Registros Públicos de Cartas Precatórias da Comarca de Curitiba, Fernando Swain Ganem. Motivo: Permitir a transexual a ratificação de nome no registro civil, inclusive sem precisar fazer a cirurgia de adequação sexual.
Juiz da Vara de Registros Públicos de Porto Alegre, Antônio Carlos Nascimento Silva. Motivo: Permitir a transexual a ratificação de nome no registro civil, inclusive sem precisar fazer a cirurgia de adequação sexual.
Desembargador José Ataídes Siqueira Trindade, Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, 8ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul. Motivo: Permitir a transexual a ratificação de nome no registro civil, inclusive sem precisar fazer a cirurgia de adequação sexual.
Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. Motivo: Conceder a guarda de irmãos gêmeos a travesti.

Promotora de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos do Ministério Público, do Rio Grande do Sul, Miriam Villamil Balestro Floriano. Motivo: Determinar que tradicional escola de Porto Alegre se comprometesse a respeitar a livre orientação sexual de seus alunos e incluir na sua grade curricular disciplina sobre sexualidade.

Juíza-presidente do Juizado Especial Federal II (Alagoas), Cíntia Menezes Brunetta. Motivo: Considerar procedentes a união estável homoafetiva e concederem pensão por morte a companheira de segurada do INSS em Alagoas.
Procurador do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Ricardo Patriota Carvalho. Motivo: Considerar procedentes a união estável homoafetiva e concederem pensão por morte a companheira de segurada do INSS em Alagoas.
Juíza da 5ª Vara de Família e Sucessões do Foro Regional de Santo Amaro (SP), Maria Lídia Andrade Conceição. Motivo: Reconhecer status de família a um casal homossexual, durante separação litigiosa, dissolvendo a união reconhecida e determinando a partilha dos bens.
Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Motivo: Julgar procedente ação proposta por casal homossexual em separação, considerando em seu despacho a “união homoafetiva” e solicitando a divisão de 50% dos bens materiais adquiridos pelo casal.
PREFEITURAS e PREFEITOS
Prefeitura de São José do Rio Preto (SP). Motivo: Criar ambulatório especializado em saúde da comunidade transexual.
Prefeitura de Diadema (SP). Motivo: Conceder “Licença de casamento” a servidora lésbica.
Prefeito de São Paulo Gilberto Kassab. Motivo: Criação do Centro de Referência da
Prefeito de S. João del Rei (MG), Sidney de Sousa. Motivo: Sancionar lei declarando o Movimento Gay da Região das Vertentes, órgão de utilidade pública municipal.
Prefeito de Sorocaba (SP), Vitor Lippi. Motivo: Permitir a transexual em serviço público o uso de nome social e banheiro feminino.
CÂMARAS DE VEREADORES
Câmara dos Vereadores de Campinas (SP). Motivo: Aprovação do projeto que instituiu 17 de Maio como Dia de Luta contra a Homofobia.
Câmara dos Vereadores de São Carlos (SP). Motivo: Aprovação do “Dia Municipal Contra a Homofobia”, com unanimidade no plenário.
SECRETARIAS e AUTARQUIAS MUNICIPAIS
Secretaria de Saúde de São José do Rio Preto (SP). Motivo: Criar ambulatório especializado em saúde da comunidade transexual.
Secretaria de Saúde de Cuiabá (MT). Motivo: Orientar jovens e adultos homossexuais, a como enfrentar a homofobia e prevenir as DSTs e Aids.
Conselho Municipal de Saúde de Campinas (SP). Motivo: Eleição como conselheiro, do militante gay, Deco Ribeiro.
Previdência Municipal de Feira de Santana (BA). Motivo: Conceder pensão por morte a companheira lésbica de servidora municipal falecida sem necessidade de litígio judicial.
GOVERNOS e REPRESENTANTES POLÍTICOS ESTADUAIS
Governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral Filho. Motivo: Pleitear junto ao Supremo Tribunal Federal a concessão de direitos previdenciários às uniões estáveis de funcionários homossexuais e criar o Conselho da População GLBT.

Governador do Distrito Federal José Roberto Arruda. Motivo: Encaminhar projeto de lei à Câmara Legislativa dando direito a pensão por morte a parceiros de homossexuais.
Deputado federal Maurício Rands (PT/PE). Motivo: Projeto de lei permitindo a inclusão do parceiro homossexual como dependente na declaração do Imposto de Renda.
Assembléia Legislativa do Mato Grosso do Sul. Motivo: Aprovação da emenda previdenciária reconhecendo casais do mesmo sexo.
Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. Motivo: Aprovação do Dia do Orgulho Gay, Dia de Combate a Homofobia e Dia da Visibilidade Lésbica.
Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados. Motivo: Aprovação de lei proibindo a discriminação no emprego por orientação sexual.
Fonte: MixBrasil
A NOSSA NAÇÃO ESTÁ COMO O POVO DE JUDÁ NOS TEMPOS DO PROFETA ISAÍAS(Ai da nação pecadora,do povo carregado de iniqüidade da semente de malignos,dos filhos corruptores! Deixaram o Senhor,blasfemaram do Santo de Israel, voltaram para trás.Desde a planta do pé até a cabeça não há nele ciosa sã,senão feridas, e inchaços, e chagas podres, não espremidas, nem ligadas,nem nenhuma delas amolecida com óleo. IS 1.4,6)




segunda-feira, 23 de março de 2009

SANTIFICAÇÃO DAS ATITUDES.

A ênfase do ensino repousa sobre a praticidade da doutrina.
Nosso relacionamento com Deus se propaga através da prática das doutrinas ensinadas por líderes religiosos extraídas da bíblia.
 Em um mundo cheio de violência como vivemos, somos tentados a fazer justiça com as próprias mãos em decorrência do desmandos das autoridades constituídas, é indispensável que santifiquemos nossas atitudes antes de colocalas em prática, caso contrário, elas desqualificaram a nossa fé. Atitude é postura, modo de agir, é comportamento, como santos que somos, e num processo de santificação como vivemos, temos de pensar bastante antes de tomarmos qualquer atitude, face a uma circunstância, porque ela poderá comprometer o evangelho, contribuir para que o nome do Senhor seja louvado ou blasfemado.
A isso nós chamos de santificação das atitudes. Examinar nossos propósitos a luz da palavra de Deus e só colocar em prática se for para glória de Deus.
Exemplos de atitudes santas.
O crente Abraão:(Gênesis 13:5-11) - E também Ló, que ia com Abrão, tinha rebanhos, gado e tendas. E não tinha capacidade a terra para poderem habitar juntos; porque os seus bens eram muitos; de maneira que não podiam habitar juntos. E houve contenda entre os pastores do gado de Abrão e os pastores do gado de Ló; e os cananeus e os perizeus habitavam então na terra. E disse Abrão a Ló: Ora, não haja contenda entre mim e ti, e entre os meus pastores e os teus pastores, porque somos irmãos. Não está toda a terra diante de ti? Eia, pois, aparta-te de mim; e se escolheres a esquerda, irei para a direita; e se a direita escolheres, eu irei para a esquerda. E levantou Ló os seus olhos, e viu toda a campina do Jordão, que era toda bem regada, antes do SENHOR ter destruído Sodoma e Gomorra, e era como o jardim do SENHOR, como a terra do Egito, quando se entra em Zoar.Então Ló escolheu para si toda a campina do Jordão, e partiu Ló para o oriente, e apartaram-se um do outro. ( Veja como alguém que é crente deve agir. Abraão tinha todo o direito de ficar naquela terra e mandar embora seu sobrinho, mas ele tomou uma atitude santa e propôs um acordo entre eles para acabar com a contenda entre seus empregados e a que poderia surgir entre eles naquele momento. Abraão não foi egoísta pensando somente no seu bem está, antes abriria mão daquele lugar e daquela terra somente para permananecer em paz com o seu sobrinho. E quantas vezes nós cristãos que deveríamos seguir o exemplo de Abraão fazemos o contrário não temos atitudes santitificadas, pensamos somente em nós mesmos e ai só conseguimos provocar muita das vezes escândalos e pecados por parte daqueles que deveriam seguir nossos exemplos e assim vituperamos o nome daquele a quem deveríamos honrar o Senhor JESUS CRISTO. Vamos tomar cuidado e vigiar mais com as nossas atitudes porque elas devem ser sempre santas porque servimos a um Deus Santo!!!)
O crente José:(Gênesis 39:1-12) - E JOSÉ foi levado ao Egito, e Potifar, oficial de Faraó, capitão da guarda, homem egípcio, comprou-o da mão dos ismaelitas que o tinham levado lá. E o SENHOR estava com José, e foi homem próspero; e estava na casa de seu senhor  egípcio. Vendo, pois, o seu senhor que o SENHOR estava com ele, e tudo o que fazia o SENHOR prosperava em sua mão, José achou graça em seus olhos, e servia-o; e ele o pôs sobre a sua casa, e entregou na sua mão tudo o que tinha. E aconteceu que, desde que o pusera sobre a sua casa e sobre tudo o que tinha, o SENHOR abençoou a casa do egípcio por amor de José; e a bênção do SENHOR foi sobre tudo o que tinha, na casa e no campo. E deixou tudo o que tinha na mão de José, de maneira que nada sabia do que estava com ele, a não ser do pão que comia. E José era formoso de porte, e de semblante. E aconteceu depois destas coisas que a mulher do seu senhor pôs os seus olhos em José, e disse: Deita-te comigo. Porém ele recusou, e disse à mulher do seu SENHOR: Eis que o meu senhor não sabe do que há em casa comigo, e entregou em minha mão tudo o que tem; Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus? E aconteceu que, falando ela cada dia a José, e não lhe dando ele ouvidos, para deitar-se com ela, e estar com ela, Sucedeu num certo dia que ele veio à casa para fazer seu serviço; e nenhum dos da casa estava ali; E ela lhe pegou pela sua roupa, dizendo: Deita-te comigo. E ele deixou a sua roupa na mão dela, e fugiu, e saiu para fora. (Veja o exemplo de José ele se pensasse como um homem carnal teria aproveitado a situação que se apresentava  favorável para ele naquele momento já que Potifar tinha entregue tudo nas suas mãos então o que é que tinha demais detar-se com a mulher do seu senhor? mas ele era crente e sabia do grande plano de Deus para sua vida então resoveu sair correndo porque era assim que ele continuaria puro e Deus seria glorificado devemos pedir ao senhor que nos conceda  graça para seguirmos o exemplo de José.)
(Gênesis 45:1-8)- ENTÃO José não se podia conter diante de todos os que estavam com ele; e clamou: Fazei sair daqui a todo o homem; e ninguém ficou com ele, quando José se deu a conhecer a seus irmãos. E levantou a sua voz com choro, de maneira que os egípcios o ouviam, e a casa de Faraó o ouviu. E disse José a seus irmãos: Eu sou José; vive ainda meu pai? E seus irmãos não lhe puderam responder, porque estavam pasmados diante da sua face. E disse José a seus irmãos: Peço-vos, chegai-vos a mim. E chegaram-se; então disse ele: Eu sou José vosso irmão, a quem vendestes para o Egito. Agora, pois, não vos entristeçais, nem vos pese aos vossos olhos por me haverdes vendido para cá; porque para conservação da vida, Deus me enviou adiante de vós. Porque já houve dois anos de fome no meio da terra, e ainda restam cinco anos em que não haverá lavoura nem sega. Pelo que Deus me enviou adiante de vós, para conservar vossa sucessão na terra, e para guardar-vos em vida por um grande livramento. Assim não fostes vós que me enviastes para cá, senão Deus, que me tem posto por pai de Faraó, e por senhor de toda a sua casa, e como regente em toda a terra do Egito. (José era um homem que tinha tudo para ser depressivo,amargurado,rancoroso,frustado,frio, calculista por tudo o que seus irmão tinham lhe feito mas veja que atitude ele tomou perdoou seus irmãos e entendeu o plano de Deus para sua vida que exemplo tremendo para ser seguido.Só que nos tempos que estamos vivendo muitos estão vivendo justamente o contrário disto e entram brigas,discussões,calúnias e não seguem os ensinamentos e exemplos que estão na bíblia.)
O crente Davi:(I Samuel 24:1-12) - E SUCEDEU que, voltando Saul de perseguir os filisteus, anunciaram-lhe, dizendo: Eis que Davi está no deserto de En-Gedi. Então tomou Saul três mil homens, escolhidos dentre todo o Israel, e foi em busca de Davi e dos seus homens, até sobre os cumes das penhas das cabras montesas. E chegou a uns currais de ovelhas no caminho, onde estava uma caverna; e entrou nela Saul, a cobrir seus pés; e Davi e os seus homens estavam nos fundos da caverna. Então os homens de Davi lhe disseram: Eis aqui o dia, do qual o SENHOR te diz: Eis que te dou o teu inimigo nas tuas mãos, e far-lhe-ás como te parecer bem aos teus olhos. E levantou-se Davi, e mansamente cortou a orla do manto de Saul. Sucedeu, porém, que depois o coração doeu a Davi, por ter cortado a orla do manto de Saul. E disse aos seus homens: O SENHOR me guarde de que eu faça tal coisa ao meu senhor, ao ungido do SENHOR, estendendo eu a minha mão contra ele; pois é o ungido do SENHOR. E com estas palavras Davi conteve os seus homens, e não lhes permitiu que se levantassem contra Saul; e Saul se levantou da caverna, e prosseguiu o seu caminho. Depois também Davi se levantou, e saiu da caverna, e gritou por detrás de Saul, dizendo: Rei, meu senhor! E, olhando Saul para trás, Davi se inclinou com o rosto em terra, e se prostrou. E disse Davi a Saul: Por que dás tu ouvidos às palavras dos homens que dizem: Eis que Davi procura o teu mal? Eis que este dia os teus olhos viram, que o SENHOR hoje te pôs em minhas mãos nesta caverna, e alguns disseram que te matasse; porém a minha mão te poupou; porque disse: Não estenderei a minha mão contra o meu senhor, pois é o ungido do SENHOR. Olha, pois, meu pai, vê aqui a orla do teu manto na minha mão; porque cortando-te eu a orla do manto, não te matei. Sabe, pois, e vê que não há na minha mão nem mal nem rebeldia alguma, e não pequei contra ti; porém tu andas à caça da minha vida, para ma tirares. Julgue o SENHOR entre mim e ti, e vingue-me o SENHOR de ti; porém a minha mão não será contra ti. 
O QUE VOCÊ ACHA DESTA ATITUDE?

por: presb. Jorge Gonçalves