terça-feira, 19 de maio de 2009

OS MALEFÍCIOS DA PORNOGRAFIA

(Texto extraído do livro BATALHA CONTRA A PORNOGRAFIA)

"A justiça exalta as nações, mas o pecado é o opróbrio dos povos". (Pv 14.34)

A palavra portuguesa pornografia deriva do termo grego "pornés", que é traduzido por "prostituta", associado ao termo "graphein", que significa "escrever". O termo pornografia era usado para designar textos escritos por prostitutas, que visavam transmitir mensagens de prostituição, estimulando a imoralidade sexual. Portanto, a pornografia está intimamente relacionada a prostituição.

O vício da pornografia deturpa a sexualidade e gera conseqüências terríveis na vida das pessoas. Ele é resultado de uma constância de pensamentos eróticos, que vão sendo aceitos como normais e encarados como inofensivos, mas não são.

A erotomania e a ninfomania são síndromes que afetam respectivamente homens e mulheres. Também conhecidas como Desejo Sexual Hiperativo, o sintoma principal é a compulsividade sexual, que gera uma forte ansiedade pela masturbação ou coito excessivos. As vítimas desse mal costumam buscar uma variedade de parceiros sexuais, não porque gostem muito de sexo e sim porque estão psicológica e espiritualmente escravizados pelo hábito sexual, que nunca lhes proporciona uma satisfação plena.

PRISÃO VERGONHOSA

Em novembro de 2001, a Polícia Federal de Brasília efetuou a prisão de um jovem médico casado, de 30 anos. Os policiais chegaram durante o seu plantão no hospital, pela madrugada, quando ele estava trancado numa sala, se masturbando, diante do computador que usava para distribuir e acessar pornografia infantil.



EM DEFESA DAS CRIANÇAS

Segundo pesquisas 80% dos estupradores de crianças confessaram que seus problemas começaram com o consumo de pornografia. A maioria admitiu que, praticaram em suas vítimas as cenas que assistiram.

O diretor do Centro de crianças desaparecidas e exploradas em Washington-DC, declarou que em todos os casos de pedofilia investigados, os criminosos sempre possuiam alguma publicação pornográfica.

A pornografia infantil movimenta cerca de 20 bilhões de dólares todos os anos, expondo até crianças recém-nascidas a atos sexuais terrivelmente violentos, humilhantes e desumanizantes.

Atualmente, existem mais de 6000 sites comerciais de pedofilia, onde uma foto de criança sendo violentada sexualmente pode valer US$ 100 e uma filmagem até US$ 1 mil.

No mundo inteiro, mais de 10 milhões de crianças vivem como escravas. Todos os anos, mais de 1 milhão de crianças são vendidas, inclusive como escravas sexuais; 7 milhões de crianças são abusadas e exploradas sexualmente, 3500 não resistem e morrem; mais de 3 milhões de meninas engravidam antes dos 16 anos, das quais, cerca de 70 mil morrem durante o parto.

A pornografia estimula fortemente o instinto sexual que, se não for mantido sob controle, pode gerar problemas à vida em sociedade. Por isso, mesmo com as dificuldades políticas para aprovar leis de repressão à pornografia, devemos ter o bom senso de nos mobilizarmos para proteger pelo menos nossas crianças.

O turismo sexual é um sucesso no Brasil. Sites do mundo inteiro divulgam o Brasil como um paraíso sexual, onde crianças, jovens e adultos podem ser encomendados por idade, peso, cor e outras características para satisfação de clientes nacionais e estrangeiros. Está comprovado, que existe uma lucrativa indústria de exploração sexual no Brasil, envolvendo mães, policiais, empresários, taxistas etc.

ABUSO SEXUAL

Abuso sexual é o uso de crianças e adolescentes para qualquer tipo de satisfação sexual, o que nem sempre ocorre com o contato físico. Tal prática, pode ocorrer com violência, ameaças ou sedução, pela qual o menor é convencido a praticar atos libidinosos, que implica em tocar, acariciar ou manter relações sexuais com a vítima.

Também existem os casos de abuso a distância, quando as vítimas são observadas trocando de roupa, tomando banho ou mesmo através de fotografias ou filmagens. Alguns expõem suas vítimas a filmes e revistas pornográficas, alegando que elas precisam aprender a respeito da sexualidade humana.

No Brasil, a pena por submeter crianças ou adolescentes à prostituição, abuso ou exploração sexual varia de quatro a dez anos de reclusão, além de multa. Deixar de comunicar às autoridades competentes um caso de abuso contra um menor é um delito, sujeito a multa de três a vinte sálarios mínimos.

UMA AMEAÇA SOCIAL DEVASTADORA

A pornografia é o maior perigo para a saúde psicológica das pessoas. Ela é altamente viciante. O problema com a pornografia é maior do que com as drogas entorpecentes. Nos Estados Unidos, cientistas comprovaram que a recuperação do vício em pornografia leva mais tempo do que o da dependência química. O pior é que a distribuição da indústria pornográfica é mais eficiente que o tráfico de drogas, pois é entregue sigilosamente em qualquer lugar, 24 horas por dia, por toda a vida.

A pornografia tem ocupado um tempo precioso na vida de muitas pessoas. Tempo que poderia ser dedicado aos estudos, ao lazer, ao descanso, aos amigos, à família e até a Deus. Acessar a pornografia é como entrar num imenso labirinto escuro do qual para sair é cada vez mais difícil, à medida em que se percorre seus milhões de corredores. Tudo começa de forma "inocente", como um olhar que gera um pensamento impuro, que vai sendo cultivado e se ramifica, crescendo sem parar até que se tornar algo incontrolável.

Como o consumo intensifica a tolerância, o viciado precisa de uma dose cada vez maior e mais forte para alcançar o mesmo "prazer" que nunca o satisfaz plenamente agravando ainda mais seu problema. Alguns se tornam tão frustrados e deprimidos pelo vício que começam a beber e até se drogar, outros se tornam violentos e alguns se envolvem em situações que os levam a crimes sexuais, inclusive contra crianças. O vício sexual tende sempre a evoluir para práticas cada vez mais perigosas.

A pornografia combate contra a família de forma aberta, depreciando o amor conjugal, diminuindo os atrativos físicos dos parceiros reais e exaltando todo tipo de imoralidade, que denigre e avilta a sociedade, promovendo a banalização do sexo, tratando-o apenas como diversão. A mente fica poluída de tal maneira, que afeta o equilíbrio psicossocial, resultando no aumento da violência, principalmente contra mulheres e crianças.

UM CÍRCULO VICIOSO E SATÂNICO

Há anos a sociedade passa por um processo de degradação moral que está cada vez mais acelerado e a prova disso é a legalização da pornografia, que está em toda parte, através de livros, revistas, DVDs, televisão, internet, etc.

Quem pensa que a pornografia é educativa está muito enganado. Ela visa é lucro às custas da frustração e infelicidade alheia. Estamos numa guerra moral de proporções mundiais e nossos filhos são os principais alvos. Eles estão sofrendo atentados visuais que apelam à violência e à deturpação sexual. O objetivo é viciá-los em sexo para tornar cada vez mais difícil educá-los.

Na infância, a criança é facilmente influenciável por mensagens subliminares, que lentamente a conduz à exposições e experiências sexuais precocemente. Na adolescência, com o subconsciente repleto de imagens eróticas armazenadas, torna-se facilmente atraído para tudo que tenha alguma conotação sexual e é impulsionado à prática da masturbação, que tem sido cada vez mais incentivada por "educadores", que apenas recomendam o uso de preservativo, no caso de uma vida sexual ativa. Na idade adulta, com uma vida sexual desregrada a situação pode piorar, se transformar-se num ninfomaníaco que nunca alcançará a verdadeira satisfação sexual e este círculo vicioso tende a persistir e agravar-se a cada nova geração.

É PRECISO QUEBRAR A CORRENTE

A corrente é formada por vários elos que precisam estar unidos para torná-la eficiente. A vida do pecador também é formada de vários elos de pecados, os quais unidos, os prendem impiedosamente. Em muitos casos, a pornografia é o elo mais forte da corrente, mas se ela for rompida os demais elos se afrouxarão e a libertação em outras áreas será facilitada. Por exemplo, quando um homem é liberto da pornografia, ele também pode deixar de xingar e de ser violento, tornando-se mais gentil e respeitador com todos, especialmente com sua esposa. Isso é confirmado pelos psicólogos, que acreditam que a violência é resultante de alguma frustração sexual que, por sua vez, motiva o consumo da pornografia.

AINDA HÁ ESPERANÇA

Todos precisam saber, que é possível e necessário viver livre do domínio da pornografia. Há muita gente dominada por suas próprias concupiscências, pensando que está tudo bem, mas interiormente estão como os sepulcros caiados, cheirando mau (Mt 23.27). Contudo, há esperança. A restauração é possível, para quem atender ao chamado do Filho de Deus, que pode promover um renascimento espiritual de todo pecador (Jo 3). Jesus Cristo já fez tudo que precisava ser feito para nos salvar e nos libertar do poder do pecado (Gl 5.1). Nós jamais conseguiríamos vencer o pecado por nós mesmos porque somos fracos e vulneráveis ao pecado (Jo 15.5).

Por isso, como Jesus já venceu o pecado por nós, tudo que precisamos fazer é permitir que o poder do seu Espírito de Vida domine todo nosso ser para vivermos sempre agradecidos pela nossa salvação. É realmente, simples assim. Deus conhece nossos instintos. Ele sabe de todas nossas fraquezas, por isso, não permite que nos sobrevenha tentação acima de nossa resistência (1ª Co 10.13; 2ª Co 12.9).

Se você vive atormentado pela culpa de ter cometido algum pecado sexual não se desespere, apele à misericórdia de Deus, que o criou, o ama e o compreende (Hb 2.18). Jesus Cristo é poderoso para revigorar sua sexualidade e libertá-lo do domínio da pornografia. Pela graça de Deus somos capacitados a vencer as tentaçoes sexuais diariamente.

Nem tudo está perdido. Ainda há esperança. A graça de Deus se manifestou trazendo salvação a todos. A vitória ainda é possível. Portanto, não desista! Creia no amor e na misericórdia de Deus, pois, ele nunca desiste de você.

RESPONDA FRANCAMENTE

  1. Você tem alguma atividade sexual secreta?
  2. Você busca contemplar cenas eróticas?
  3. Suas fantasias sexuais causam atritos com pessoas de seu convívio?
  4. Você se sente mal depois de uma relação sexual, com sentimento de ira, culpa ou vergonha?
  5. Sente vergonha de seu próprio corpo ou de sua vida sexual?
  6. Você já vivenciou alguma situação de perigo em relação a alguma prática sexual ou voyeurismo?
  7. Sua vida sexual se choca com sua crenças ou compromete seu desenvolvimento espiritual?
  8. Sua vida sexual tem lhe entristecido ao ponto de deprimi-lo, fazendo-o pensar em suicídio alguma vez?
  9. Você já sofreu algum tipo de violência sexual na infância ou adolescência?
  10. Sua vida sexual envolve atos de ameaças, violência ou alguma doença?

A resposta positiva em mais de uma dessas questões indica que você precisa de ajuda.

Colabore com a Campanha Nacional contra a Pornografia, adquirindo o livro: "BATALHA CONTRA A PORNOGRAFIA" pelo preço promocional de R$ 10,00.

Clique aqui para adquirir.

Postar um comentário